quinta-feira, 23 de abril de 2009

Ensaio sobre a Lucidez


Ciente de que mais um turbilhão de emoções tomariam conta de mim, me preparei psicologicamente para ler “Ensaio sobre a Lucidez”. Respirei fundo e mergulhei na história.

De cara, percebi se tratar do “Day After”, após o reestabelecimento da visão das pessoas-personagens contidas no “Ensaio sobre a Cegueira”. Aqui, o autor deixa claro que, após a catástrofe que acometeu aquele país, as pessoas tentaram retomar sua vida quotidiana.

Fica claro, porém, que isso nunca mais seria possível. Com o fim da cegueira, a percepção dos cidadãos passou a ser mais sensível e de fato, as coisas mudaram na vida delas. Após a limpeza das ruas, o reestabelecimento de água e da luz, foi iniciada a campanha presidencial.

O desenrolar da história é o mais interessante: o resultado das eleições foi de que os votos brancos foram a grande maioria apurada. Os candidatos existentes não foram eleitos por meio da manifestação democrática. Os políticos entraram em pânico e não entendiam como tal fato poderia suceder-se.

A lucidez a que se refere o autor tem início a partir de tal fato. É daí que se entende o que o meu amigo quis me dizer com a cegueira a que estamos atualmente sujeitos. É na tentativa do voto em branco, que aquelas pessoas, até então cegas, passaram a ver o que antes era turvo, leitoso, pouco claro.

Não vou contar o final da história, mas o que posso dizer é que esse livro, tal qual o primeiro, fez com que eu refletisse todos os detalhes do que me cerca. O que de fato aconteceria se todos os cidadãos resolvessem votar em branco. Ele não me deu as respostas, só fez aumentar os meus “porquês”.

Saramago se mostrou para mim, como um pai que ensina a dor e a delícia de viver; explicando, exibindo os detalhes que por diversas vezes não são muito visíveis, mas que, com um pouco de reflexão e de introspecção, acabam sendo revelados.

A verdade dói, meu caro, mas ela também te faz enxergar melhor. Ao terminar de ler essa obra, foi essa, a conclusão a que cheguei.

: : TRECHO : :

“(...) Também há os que expressam uma opinião diferente, protestam que as leis são sagradas, que o que está escrito é para se cumprir, doa a quem doer, e que se entramos pela vereda dos subterfúgios e pelo atalho dos arranjinhos por baixo da mesa iremos diretos aos caos e à dissolução das consciências, em suma, se a lei estipula que em caso de catástrofe natural as eleições devem ser repetidas oito dias depois, então que se repitam oito dias depois, isto é, já no próximo domingo, e seja o que deus quiser, que para isso está.” (p.26)

: : FICHA TÉCNICA : :
Ensaio sobre a Lucidez
SARAMAGO, José
Companhia das Letras, 2004
325 páginas

9 comentários:

  1. Seria perfeito se os brasileiros mostrassem uma lucidez dessa votando em branco
    ;P

    ResponderExcluir
  2. Ana, você hoje está aqui:

    http://www.elasestaolendo.blogspot.com/

    Convida seus amigos...

    Abracos

    ResponderExcluir
  3. VOu seguir as sugestões....ler os dois...

    blog fantástico... por favor.. kep rocking....


    Ana Lu, segundo a legislação, caso houvesse voto em branco de mais de 50% dos eleitores, iso só seria suficiente para promover mais uma eleição, com os mesms candidatos... nossos políticos são caras-de-pau... mesmo diante de uma demostração desse tipo, iam continuar com a propaganda de sempre.....o buraco é mais embaixo...

    Quando a lei se fizer valer para TODOS e não so para pobres, as coisas, (talvez) passem a funcionar melhor...a nós, cabe a busca de um jeito pra mudar... ou a resignação.. sinceramente fico dividido...

    ResponderExcluir
  4. Ana, adorei sua resenha no blog do "elasestaolendo". comentei que vc deveria fazer a divulgação oficial. fiquei com mta vontade de ler o livro.

    bjoooocas!!!!!

    ResponderExcluir
  5. Adorei seus comentários sobre a obra de José Saramango, ele entrou em minha lista de leituras.
    Beijossssssss

    ResponderExcluir
  6. E eu sempre anotando as dicas....

    =)

    bjãoooo

    ResponderExcluir
  7. Nunca li nenhum livro dele e sinto, de fato, por este erro. Uma pena que ele nao esta nas prateleias europeias (pq tem o Paulo Coelho, Dio? Pq). Sinto falta de ler bons livros assim, com reflexao.

    Boa semana!

    ResponderExcluir
  8. Ana, adotei a filosofia do MasterCard: "tem coisas que nao tem preço, para outras MasterCar". Atualmente estou investindo mais naquelas que nao tem preço e deixando as outras para mais tarde. Assim é mais fácil para realizar sonhos.

    Bjos e obrigada pela visita.

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails